Prosa Crítica

A QUERELA DO BRASIL

O relançamento de “A Querela do Brasil”, de Carlos Zilio, quinze anos depois, o afirma como imprescindível para a compreensão não só das artes plásticas mas de toda a cultura brasileira, que se formou a partir do Modernsimo de 1922. O volume desvenda tópicos que permanecem pouco trabalhados.Por que a poesia norte-americana é hoje das mais fortes do mundo? Zilio, enfocando artes plásticas, ensina que artistas americanos conseguiram — por ...

Read More

A poesia e a língua portuguesa na era da internet

Não se pode falar sobre a poesia na internet, sem se falar, brevemente, sobre a situação da língua portuguesa na rede. O português é a única língua oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe, além de uma das línguas oficiais da Guiné Equatorial, do Timor-Leste e de Macau, na China.No que respeita à internet, o primeiro aspecto a se apontar é a grande ...

Read More

A MPB NO LIMBO

Recebi edição especial da Bravo, patrocinada pela CPFL/Energia, com o ranking das cem canções “essenciais” da MPB. A Bravo é a única revista decente que se dedica à cultura e à indústria cultural no país. Ela é superior aos cadernos diários de alguns jornais, voltados exclusivamente para a indústria do entretenimento, sem qualquer visada ou mediação crítica. A CPFL é a empresa que mais investe em cultura e supera – em muitos aspectos – ...

Read More

A IMPROVÁVEL POESIA DAS AMÉRICAS

Os Estados Unidos são a grande potência mundial, desde o fim da Segunda Guerra, condição reafirmada, em 1991, com a extinção da União Soviética. Falar então de uma “poesia das Américas” é, em certa medida, falar de uma poesia da centralidade. Os ganhos advindos da força de seu capitalismo projetaram seus poetas no mundo todo. Deu-se a inversão prática dos fluxos: a poesia norte-americana passou a influenciar e a alimentar as várias ...

Read More

A IDÉIA TOTALITÁRIA DE “CANÔNE”

O primeiro volume da “Anthology of World Poetry of the 20th Century”, que acaba de ser lançado nos EUA (Green Integer, 199 páginas, $15,95), organizado pelo dramaturgo, poeta e ensaista Douglas Messerli, de Los Angeles, surpreende como ato crítico, em si. O editor rompe, no caso, com visões predominantemente anglocêntricas, como as de Harold Bloom, e, de modo diverso do autor de “O Cânone Ocidental”, procura reunir poetas que se caracterizaram ...

Read More

A GELÉIA GERAL DO ESTADO NA ÁREA DA CULTURA

Baseio-me, aqui, em conceitos de Herbert Marcuse, que considero atuais. A relação entre os fins culturais e os meios factuais são raramente harmônicos. Esta tensão se exprime na distinção histórica entre cultura e civilização, segundo a qual "a cultura se relaciona com uma dimensão superior de autonomia e da realização humana", enquanto a civilização opera no reino da necessidade, dentro do qual o homem não é efetivamente ele mesmo mas ...

Read More

A FUNÇÃO DA POESIA

A proximidade do fim do século e também do fim do milênio não afeta, aparentemente, em nada a função da poesia no quadro geral das literaturas e das culturas. A poesia não tem, propriamente, uma função. Ela é inútil, não se constituindo em encargo ou serviço. Sua inutilidade atravessa regimes políticos diversos bem como diferentes economias. Regimes políticos totalitários têm, muitas vezes, o poder de explicitar a capacidade de resistência ...

Read More

A COPISTA DE KAFKA

Wilson Bueno está entre a meia dúzia de prosadores que conta no Brasil, Brasil medíocre do violeiro e “prosador” Chico Buarque, dos imitadores obsessivos de José Agripino de Paula, dos “poetinhas”, colunistas sociais manés, e outros, analisados por Alcir Pécora, em seu ensaio, verdadeiro divisor de águas da crítica literária, “Momento Crítico”, de 2004, publicado na revista Sibila.Bueno utiliza, em A copista de Kafka, a relação amorosa real entre Felice Bauer ...

Read More

A ANTROPOFAGIA DE TARSILA DO AMARAL, RAUL BOPP E OSWALD DE ANDRADE: UMA ESTRATÉGIA BRASILEIRA PARA CULTURA E POESIA NUM MUNDO GLOBALIZADO

Talvez os aniversários de 60 anos da Antropofagia e 60 anos de "Cobra Norato", de Raul Bopp, possam dar oportunidade para o estabelecimento de relações de semelhança, reificadoras, entre os trabalhos pictóricos de Tarsila do Amaral, dos anos 20 (principalmente em torno do período do movimento Antropofágico) e o poema, escrito em 1921, mas "esquecido" pelo próprio autor e reavivado pela artista e por Oswald de Andrade, só em 1928, ...

Read More

A poesia e a língua portuguesa na era da internet

Não se pode falar sobre a poesia na internet, sem se falar, brevemente, sobre a situação da língua portuguesa na rede. O português é a única língua oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe, além de uma das línguas oficiais da Guiné Equatorial, do Timor-Leste e de Macau, na China. No que respeita à internet, o primeiro aspecto a se apontar é a grande ...

Read More