Prosa Crítica

SOBRE JACQUES ROUBAUD

Jacques Roubaud é um dos mais conhecidos e reconhecidos poetas franceses contemporâneos não só em seu país mas no estrangeiro. Sua obra ou parte dela está traduzida para inúmeros idiomas e entre eles, para que se verifique o alcance de sua difusão, o japonês. Roubaud, que nasceu em 1932, em Couluire et Curie, na Provença, é membro do grupo literário OuLiPo (Ouvroir de la Literature Potencielle), fundado por Raymond Queneau ...

Read More

SOBRE DÉCIO PIGNATARI

A reunião de toda a poesia de Décio Pignatari, um dos poetas centrais do século 20 brasileiro, de 1950 a 2000, neste novo livro, de boa qualidade gráfica, tem, entre muitos significados, o de “permitir” novas leituras, novas legibilidades, novas hipóteses de sentido, para seus poemas; hipóteses mais livres e menos previsíveis, na contramão dos discursos oficiais que foram produzidos ao longo desses mais de quarenta anos, por ele mesmo, ...

Read More

SOBRE A POESIA ORTÔNIMA DE FERNANDO PESSOA

Luís de Montalvor afirmou, na apresentação do número de estréia de Orfeu, que essa revista representava “um exílio dos temperamentos da arte, que a queriam como a um segredo ou tormento”. A publicação teve dois números, lançados em 1915, e reunia o grupo de vanguarda da poesia portuguesa da época: Fernando Pessoa (1888 – 1935), Almada Negreiros, Santa-Rita Pintor, Ângelo de Lima (este internado em um manicômio) e Mário de Sá-Carneiro, ...

Read More

SEXO E GÊNERO EM PARQUE INDUSTRIAL, DE PAGÚ

Parque industrial, de Patrícia Galvão, a Pagú (1910-1962), foi escrito em 1932 e lançado no ano seguinte (em pequena tiragem financiada por Oswald de Andrade), sob o pseudônimo de Mara Lobo, que adotou para evitar ainda mais atritos com o Partido Comunista, no qual militava. O livro foi, portanto, composto sob Getúlio Vargas, que tomara o poder em 1930, sucedendo a Washington Luís, que governara o país de 1926 a ...

Read More

SALVOS SON OS TRAEDORES

Cancioneiros medievais galego-portugueses, de Gladis Massini-Cagliari, é livro meritório por duas razões básicas. A primeira, por resgatar tema sempre esquecido pelos poetas, prosadores, críticos e operadores do idioma em geral: a origem da própria língua. Tema relegado aos “especialistas”, quando, na verdade, está – por mais oculto que pareça – presente na vida diária. A segunda, por tocar na questão do “nacionalismo”, sempre polêmica. Massini-Cagliari é didática e de uma clareza ...

Read More

ROBERTO: ENTRE EL MITO Y EL MÉRITO

Estranhos sinais de Saturno (Extrañas señales de Saturno), de Roberto Piva, reúne el libro Ciclones, de 1997, el libro inédito Estranhos sinais de Saturno (1997-9), manifiestos de diversas épocas, y un disco compacto con grabaciones de poemas leídos por su autor – interesantes. El prefacio es de Alcir Pécora, tal vez el mejor crítico literario de la actualidad en Brasil, debido a su capacidad de análisis y a la claridad de su escritura; y ...

Read More

REVERSO: EROS, MONTAGEM E INOVAÇÃO EM MÁRIO FAUSTINO

MARGINAL POEMA 15Item:as estaçõeso que dela nos deixa capricórniorios cercando a folhaa nuca, a testa oblíqua sobre a folharios formam baíarios param;pinho, pasta, papel: creme de luz, luz cremee tinta e noite e letrao vácuoé luminoso e flui(é vago)o negro é quem ocorree existe (exato)obscuroe obscuro igual a vago;e da mesma maneira: “deleitoso este livro neste inverno”;neste, inverno, que maisé primavera mais outono ou menoso que em tudo persiste de verãode ...

Read More

REPTO INCOMUM

Wilson Bueno está entre a meia dúzia de prosadores que realmente conta no Brasil – Brasil medíocre do violeiro e “prosador” Chico Buarque, dos imitadores obsessivos de José Agripino de Paula, dos “poetinhas”, colunistas sociais manés, e outros, analisados por Alcir Pécora em seu ensaio “Momento crítico”, publicado na revista Sibila em 2004, verdadeiro divisor de águas da crítica literária. Bueno utiliza, em A copista de Kafka (São Paulo, Planeta, 2007), a relação amorosa real ...

Read More

QUEDA DO MURO DE BERLIM: MUNDO DO PENSAMENTO ÚNICO

“Século breve” é expressão cunhada pelo historiador britânico Eric Hobsbawm (n. 1917, Alexandria, Egito) para designar o século XX, que, para ele, em a Era dos extremos / O breve século XX, inicia-se em 1914, com a Primeira Grande Mundial, e se encerra em 1991, com o fim da corrida armamentista. Para Hobsbawm a Guerra Fria terminou quando as superpotências (Estados Unidos e União Soviética) “reconheceram o sinistro absurdo da corrida nuclear ...

Read More

Princess Hijab

Determinados anúncios, nos corredores do metrô ou em outros pontos de Paris, irrompem, inusuais, de sua rotina de paredes: a modelo promovendo roupa ou perfume, talvez H&M, talvez Dior, aparece com o rosto coberto por uma burca ou pintado inteiramente com tinta negra. Sua autora: Princess Hijab. Em toda a França, as mulheres foram proibidas de usar burca. Além da crítica social, Hijab cria alguma coisa nova no mundo, hoje, ...

Read More