Prosa Crítica

VALENTE

Dia 20 de novembro, o poeta galego-espanhol Antonio Dominguez Rey, juntamente como o francês Bernard Nöel, estará prestando, na cidade de La Coruña, dentro de seminário que estuda as línguas românicas ou neolatinas, homenagem a José Ángel Valente — considerado um dos três maiores poetas espanhóis da segunda metade do século XX, que morreu em 18 de julho de 2000, em Genebra, na Suíça, em virtude de um câncer. Sua ...

Read More

UMA BRASILEIRA EM HONDURAS, ONDE VIVEU JOÃO CABRAL

João Cabral de Melo Neto (1920-1999), o maior poeta brasileiro de todos os tempos, ao lado de Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), foi embaixador em Honduras nos anos 1980, onde escreveu o longo poema Auto do frade (1984), que aborda a execução da pena de morte infligida a Frei Caneca. Pedro I, em 1822, autorizou a instauração de uma assembleia constituinte, para elaboração da primeira Constituição brasileira. Sob pressão conservadora, o imperador a ...

Read More

UM LUGAR PARA JOSÉ PAULO PAES

José Paulo Paes morreu em 8 de outubro de 1998, um ano e um dia exatamente antes que João Cabral de Melo Neto, morto em 9 de outubro de 1999. A morte dos dois teve repercussões diversas: a de Cabral imensa, com jornais e revistas, especializadas ou não, oferecendo-lhe capas e cadernos inteiros ; a de Paes, discreta, mesmo quando algum veículo chegou-lhe a dar registro mais visível. Paradoxal: quando ...

Read More

UM LUGAR PARA A VOZ DO POETA

Relançamentos de gravações de Drummond e Vinícius mostram que a leitura de poesia merece mais atenção Não deve passar sem registro o fato de que duas antologias poéticas foram relançadas no final de 1993: a de Vinícius de Moraes e a de Carlos Drummond de Andrade. Não em livro, mas em fita (cassete), com os poetas lendo alguns de seus poemas, [extraídos] de livros e momentos literários distintos. O fato em si ...

Read More

THE DISPLACEMENT OF THE “SCHOLASTIC”: NEW BRAZILIAN POETRY OF INVENTION

One of the characteristics of 20th century Brazilian poetry has been its organization in the "form" of literary movements, echoing European and later North American literary and visual art vanguards. "Form" here is understood in Wittgenstein's sense, in the Tractatus: "The form is the possibility of the structure." The first of these movements, Modernism, launched in 1922, by Mário and Oswald de Andrade, raised issues that remain alive even today. ...

Read More

TANTAS MÁSCARAS* (RECONHECIMENTO DE UMA NOVA POESIA BRASILEIRA)

Uma das características da poesia brasileira no e do século XX foi a de ter se organizado sob a "forma" de movimentos literários, cíclicos, que se expandiam para outros ramos da arte — ecoando vanguardas e retarguardas, no início européias, e, depois, norte-americanas. "Forma" aqui empregada no sentido de Ludwig Wittgenstein, do "Tractatus": "A forma é a possibilidade da estrutura". O primeiro desses movimentos, o modernismo, desencadeado em 1922, por ...

Read More

TAMANHA ANULAÇÃO DA EXISTÊNCIA

Israel abandonou a Faixa de Gaza em 2005, depois de 38 anos de ocupação ilícita. No último dia 19, o Hamas propôs ao governo israelense uma prorrogação do cessar-fogo, avençado entre as partes por seis meses e relativamente respeitado por ambas. O Hamas derrotou, em eleições livres, o presidente da autoridade palestina Mahmud Abbas em 2007 e se apossou institucionalmente da área, excluindo os coirmãos do Fatah de seu governo. O ...

Read More

STEIN: VANGUARDA E CIVILIZAÇÃO

Paris França, de Gertrude Stein, lançado em 1940, é um percuciente libelo em prol da arte como instrumento de civilização e sobre as quatro primeiras décadas do século xx, período que abarca as duas Grandes Guerras, panos de fundo para suas reflexões, a partir da França, onde residia com sua companheira Alice B. Toklas, ora em Paris, ora no campo. Quando escreveu Paris França, Stein já havia lançado sua obra-prima, Tender buttons (1914), ...

Read More

SOBRE UNGARETTI

Vem de sair o excelente “Ungaretti / Daquela Estrela à Outra”, coletânea de poemas do ítalo-egipício Giuseppe Ungaretti, organizada por Lucia Wataghin, com traduções e também ensaios de Aurora F. Bernardini e Haroldo de Campos, este morto em agosto de 2003. Recentemente, ainda em 2003, outra seleta de boa qualidade de Ungaretti foi, igualmente, lançada no Brasil, “A Alegria”, com traduções de Geraldo Holanda Cavalcanti. Todavia, em “Daquela Estrela à ...

Read More

SOBRE JÚLIO BRESSANE

Cine Marachá,Rua Augusta,talvez 1973.Talvez 1974.A figura de Julio Bressane,sentado numa poltrona.Haroldo de Campos e mais um par de amigos( Péricles Cavalcanti?)."O Anjo Nasceu" ou "O estrangulador de Loiras"? "Família do Barulho" ou "Matou a família e foi ao cinema"? "Matou a família e foi ao cinema".Lembro-me de ter anotado este poema-título em um de meus cadernos daquela época,ainda utópica ( mudanças na arte e na sociedade ).Conflito de filhos de classe ...

Read More